segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

@amandamanfre

Oi pessoal, como vão?

Então, pra começar o ano vamos falar de um livro escrito pelo grande poeta, Chico Buarque. O livro conta a história de um homem muito velho de uma tradicional família que está num leito de hospital. Ele conta num monólogo dirigido à filha, às enfermeiras e a quem quiser ouvir, a história de sua linhagem desde os ancestrais portugueses, passando por um barão do Império, um senador da Primeira República, até o tataraneto, garotão do Rio de Janeiro atual. A visão que o autor nos oferece da sociedade brasileira é extremamente pessimista: preconceitos de classe e de raça, machismo, oportunismo, corrupção, destruição da natureza...


“Quando eu sair daqui, vamos nos casar na fazenda da minha feliz infância, lá na raiz da serra. Você vai usar o vestido e o véu da minha mãe, e não falo assim por estar sentimental, não é por causa da morfina. Você vai dispor dos rendados, dos cristais, da baixela, das jóias e do nome da minha família.”

O romance começou a ser escrito em agosto de 2007 e dá vida a objetos e lugares que habitam as lembranças do autor, como aparelhos de vitrola, refrigeradores Frigidaire, colégios para moças, ritmos de época. Sua paixão pelo Fluminense se materializa na figura de Xerxes, um fictício jogador indisciplinado dos anos 50. É um livro ótimo, tem um gosto bem brasileirinho!

E pra terminar vamos abrir na página 69 um livro qualquer, e postar nos comentários o que estiver escrito na 2° frase.

É isso gente, beijos, bom começo de ano, e feliz aniversário pra mim EE+

Related Posts with Thumbnails Compartilhe

3 comentários:

  1. "Algo mágico aconteceu quando dei o primeiro beijo nela(...) As mãos dela passearam por todo o meu corpo(...)" kkkk ai ai

    ResponderExcluir
  2. pisca não ein .. rs

    ResponderExcluir
  3. Quando vinha para casa de táxi, encontrei um amigo e o trouxe até copacabana....

    ResponderExcluir